O Coelho da Páscoa é um dos símbolos pascais, utilizado por representar a fertilidade, o nascimento e a esperança da vida.

O coelho é um animal que se reproduz em grandes ninhadas. A sua relação com a Páscoa foi definida historicamente a partir da representação que este animal possuía para diversos povos antigos, como símbolo da esperança na renovação da vida.

Neste contexto, para os cristãos, o coelho seria uma das representações da ressurreição de Jesus Cristo.

Alguns povos antigos relacionavam este animal com a chegada do fim do inverno e começo da primavera, como um simbolismo do “renascimento da vida”. Os coelhos eram os primeiros animais a abandonarem as suas tocas quando a primavera começava.

Em inglês, a expressão easter bunny significa “coelhinho da Páscoa”.

Os coelhos só passaram a representar um símbolo da Páscoa no Brasil no final do século XVII, trazidos pelos imigrantes alemães.

De acordo com a mitologia germânica, o coelho era um dos símbolos da deusa da fertilidade Ostara. A partir desta mesma lenda mítica, surgiu entre os alemães a tradição de entregar ovos (de galinha) pintados de várias cores para as crianças.

A Páscoa é uma celebração cristã comemorada anualmente ao domingo, conhecido como Domingo de Páscoa. É uma festa móvel, ou seja, a data de comemoração varia dependendo do ano. Porém, por norma, costuma acontecer entre os dias 22 de março e 25 de abril.

Esta é considerada uma das festas mais importantes para os cristãos, pois celebra a ressurreição de Jesus Cristo. Ela marca o fim da chamada Semana Santa, que se inicia no Domingo de Ramos e termina no domingo seguinte.

Durante toda a semana há procissões e cerimônias especiais, sobretudo na quinta e na sexta-feira, conhecida como Sexta-feira Santa ou Sexta-Feira da Paixão (que marca a morte de Cristo na cruz). É no Sábado de Aleluia que é proclamada a ressurreição.

Gostou do artigo? Achou-o curioso? Dê um curtir para ele!